Publicado por: Igor Santos | 19/04/2010

Companhia para os solitários


Um dos maiores problemas de quem mora sozinho é a solidão.
É muito bom poder andar pela casa imitando um zumbi fanho sem se preocupar na vergonha decorrente de ser surpreendido andando torto, gemendo e babando, mas depois de um mês desse ‘show para ninguém’, a casa começa a parecer grande demais (metaforicamente, porque sua casa vai sempre ser fisicamente menor do que você gostaria que fosse).

Mas o que fazer para permanecer sozinho e não se sentir só?
Porque ou se mora com alguém ou se mora com ninguém, certo?

Arrume um colega que não abra a sua geladeira e roube seu último achocolatado e que não reclame ao ser acordado pelos ecos estrondantes de um sanduíche-de-rua sendo urgentemente expelido de suas entranhas no meio da madrugada.

“Mas quem seria essa pessoa? Ela existe?”, eu os escuto perguntar.


A resposta é “não“. Essa pessoa não existe.

Mas há uma maneira de dividir um apartamento sem o aborrecimento de mensagens no espelho, telefone indefinidamente ocupado ou toalha molhada em cima do sofá: arrume um gato.
Você pode até achar que eu deveria ser politicamente correto e dizer “arrume um bicho”, mas não serve qualquer um.
Veja só:
cachorros são barulhentos e despertam o interesse do síndico que só quer mais um motivo para botar você para fora, além de sujar a casa toda;
passarinhos só sujam e fazem zuada em momentos inconvenientes, além de federem com força;
um papagaio pode até ser divertido no começo, mas seus vizinhos vão se divertir muito mais, ensinando palavrões ao bicho pela porta e janelas, criando uma potencial fonte de constrangimento para quando os pais do seu par romântico forem lhe visitar;
e peixes são tão úteis para suprir sua falta de companhia quanto palitos de dente são para espantar moscas.

Você não quer ser recebido por um desses em casa, não é?

Você quer um animal de estimação que tenha a menor taxa de manutenção e, como eletrodomésticos ideais, tenha certas características.
Por exemplo, você quer um forno que seja autolimpante, uma geladeira que seja silenciosa e uma pia que não vaze. Ou seja, sua casa tem que funcionar como um gato.

Gatos se limpam pelo menos duas vezes por dia, não necessitando que você saia dos seus cuidados para dar-lhes banho.
Eles também são quietos, têm unhas retráteis para não fazer barulho quando andam e raramente miam (principalmente as gatas).
Nunca você será surpreendido com um “vazamento” no meio da sua sala, pois gatos só evacuam onde podem enterrar.

Mais vantagens felinas: não ficam pedindo comida enquanto você está almoçando, não babam na sua cara quando você está desacordado no sofá, por serem pequenos e leves não quebram coisas quando pulam em cima delas e por serem bastante ágeis dificilmente derrubam alguma coisa quando estão correndo.
Eles também não mordem quando manipulados, não exalam cheiro, mesmo quando molhados e nem se importam em ficar para sempre dentro de casa, pois podem se exercitar o quanto precisem sem necessitar de muito espaço.
E ainda funcionam como controle de pragas, se exercitando em qualquer barata/lagartixa menos cuidadosa.

Não é bem melhor ter um desses por perto?

É necessário, no entanto, desenvolver um “andar de dono de gato”, que consiste em mover os pés num movimento lateral (como uma vassoura ou um rodo) pouco antes de pousá-los no chão, para evitar pisar no animal. Talvez a única desvantagem de ser pequeno e silencioso demais.

Gatas esterelizadas (que não vão ter muita vontade de sair de casa naqueles dias) vivem facilmente por vinte anos, mais que tempo suficiente para lhe fazer companhia.
As da rua são as melhores, desde que você pegue enquanto são novinhas e não sabem andar sem tremer (cuidado com a mãe que pode estar por perto), pois essa é a fase crítica onde gatos se afeiçoam aos outros.
Depois um banho (o único necessário), uma dose de vermífugo e umas poucas gotas de antipulga, sua gatinha se manterá perfeitamente saudável por anos e anos. E se você a tiver resgatado no tempo correto, ela enxergará você como uma espécie de entidade protetora e sempre estará à porta quando você chegar em casa.

Ah, gatos só bebem leite na televisão.
Gatos, assim como todos os outros animais, bebem água. Muita água fresca (troque a da vasilha pelo menos a cada dois dias e lave o recipiente pelo menos uma vez por semana).

Anúncios

Responses

  1. Aqui uma segunda opinião: http://diariodoisgatos.wordpress.com/2010/04/19/agua-fria/
    ————–

    []s,

    Roberto Takata

  2. Isso de morar sozinho e sentir solitário acontece com quem só fica em casa.
    Fim de semana, sai de casa oras, sai com os amigos, etc.

    • Quanto mais companhia você tem fora de casa, mais solitária e vazia sua casa fica, em comparação.
      Para quem é acostumado com barulho, silêncio é insuportável.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: